As áreas protegidas como instrumento mundial de sustentabilidade

17/02/2016 - As áreas protegidas como instrumento mundial de sustentabilidade

As áreas protegidas são a ferramenta mais eficiente para conservar  a biodiversidade e serviços ecossistêmicos. Em terra e na água, elas são essenciais para prevenir o desmatamento e a perda de espécies.

Com o objetivo de melhorar a cooperação e a interação dos escritórios do WWF no tema de áreas protegidas, o WWF-Brasil sediou no final do mês um encontro com 30 especialistas de várias partes do mundo, entre colaboradores da rede WWF e especialistas convidados, como o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Claudio Maretti.

O encontro teve como foco as áreas protegidas em países com economias emergentes, grandes territórios e rica biodiversidade, como Brasil, Colômbia, Equador, Rússia, Indonésia entre outros. Durante quatro dias, os presentes trouxeram relatos e experiências de seus locais de origem, demonstrando a importância das áreas protegidas e abrindo caminho para uma maior cooperação e replicação de iniciativas.

De acordo com a idealizadora do encontro, Mariana Ferreira, coordenadora do Programa de Ciências do WWF-Brasil, a troca de experiências é importante porque muitos dos desafios encontrados nas áreas protegidas são comuns e podem ser combatidos por estratégias que vão além dos limites de cada país.

Harko Koster, do WWF-Holanda acrescenta que os recentes compromissos multilaterais já reconhecem os valores econômicos, ecológicos e culturais das áreas protegidas para a conservação da biodiversidade. "Alguns exemplos são as Metas de Aichi, da Convenção da Biodiversidade (CBD), os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da ONU, e a Declaração de REDPARQUES de Áreas Protegidas e Mudanças Climáticas, assinada por 17 países latino-americanos durante a Convenção da ONU para as Mudanças Climáticas (UNFCCC) em Paris".

No Brasil, o Superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Mario Barroso, cita o programa ARPA (Programa Áreas Protegidas da Amazônia) como um exemplo bem-sucedido para a proteção ambiental. O ARPA é uma iniciativa do Governo Federal, apoiada pelo WWF junto a outras organizações e considerada o maior programa de conservação de florestas tropicais do planeta e o mais expressivo ligado à temática das unidades de conservação no Brasil. Graças ao ARPA e a outras iniciativas, hoje 27% da Amazônia faz parte de uma rede de áreas de proteção. Por outro lado, o mesmo não acontece com os outros biomas. "O Cerrado, por exemplo, tem só 8% de proteção", comentou Barroso, acrescentando que o pior caso é o da nossa costa, que apenas 1,5% está protegida. "O nosso desafio é aumentar a conservação em todos os biomas", diz ele.



Tags: sustentabilidade,mundo,ecologico,lixo,caçamba,limpreza